As aparições públicas do prefeito de São Paulo (SP), João Doria Junior (PSDB), mostram uma fidelidade ao marketing vitorioso da campanha do ano passado. Embora muitos eleitores tenham votado em Doria por ele ter se apresentado como “um gestor que não é político”, a principal sacada de seus estrategistas foi o slogan “João trabalhador”, que acabou criando um antídoto para a imagem de elitista que seus adversários tentaram usar contra o tucano.

Não foi por acaso que no dia seguinte a sua posse, Doria vestiu roupa de gari e saiu para varrição na avenida Nove de Julho, dando início ao programa chamado de Cidade Linda. Durante o ato, foi tietado até mesmo pela atriz global Regina Duarte, conhecida por fazer campanha para o PSDB.

Reforçando a impressão de que as figuras de prefeito e candidato ainda não se separaram, todos os passos de Doria, desde que assumiu, continuam sendo divulgados em suas redes sociais sob as hashtags de campanha: #AceleraSP e #JoaoTrabalhador.

A estratégia de João Doria Junior segue a mesma da campanha. Ou seja, a de buscar uma conexão da imagem de gestor e trabalhador incansável presente nas eleições.

Dentro dessa linha, Doria instituiu uma multa de até R$ 400,00 para secretários que se atrasarem para reuniões.

As ações do prefeito, seguindo a linha adotada na campanha vitoriosa de 2016, é um acerto estratégico, pois a plataforma defendida por ele no ano passado foi amplamente aceita pela opinião pública. Prova disso foi sua histórica vitória ainda em primeiro turno.

Ao contrário de muitos administradores públicos, que ao chegarem ao poder abandonam o marketing, Doria acerta ao investir forte nessa área. Passadas as eleições, é fundamental que todo político continue fiel a agenda proposta na campanha. Com o fim das eleições, o marketing eleitoral passa a ser substituído pelo marketing político. É o que Doria está fazendo com muita eficiência nesses primeiros dias.