Depois de uma longa reunião com representantes do Ministério Público, o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), relator da comissão especial encarregada de apreciar as 10 medidas de combate à corrupção sugeridas pelo órgão, anunciou a exclusão da proposta de criação de crime de responsabilidade para integrantes do MP e juízes. O deputado disse que foi convencido pelos procuradores, em reunião nesta segunda-feira, de que o momento não é adequado para decidir uma questão tão complexa. O projeto, que não estava no texto original, era o principal alvo das criticas dos procuradores.

— Ações que querem calar investigadores não podem estar neste pacote — disse Lorenzoni.

O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Operação Lava-Jato em Curitiba, saiu satisfeito da reunião:

— Saímos contente com a diligência e a abertura da comissão especial. E, o que é mais importante, com a humildade para reconhecer que alguns pontos poderiam ser ajustados — disse o procurador. (O Globo)

Efeito “Trump” persiste e dólar fecha em alta, a R$ 3,44

As incertezas em relação ao governo do presidente eleito dos EUA, Donald Trump, mantiveram o dólar em alta frente à maior parte das moedas pela quarta sessão seguida. No Brasil, a moeda americana à vista subiu mais 1,47% nesta segunda-feira (14), cotada a R$ 3,4458.

Desde a eleição de Trump, confirmada na última quarta-feira (9), o dólar já avançou 8,65% sobre o real.

“Ainda prevalece a ideia de que os novos incentivos fiscais —via investimento em infraestrutura— levarão a um maior impulso de curto prazo na economia dos EUA e, consequentemente, à elevação da inflação”, comenta a equipe de análise da Guide Investimentos, em relatório. “Isso forçará o Fed [o BC americano] a subir juros de forma mais rápida do que o antecipado.” (Folha)

Governo prepara recurso contra liminar que dá parte da repatriação aos Estados

O governo federal prepara recurso contra a decisão da ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou à União que deposite em conta judicial o valor arrecadado com a multa prevista pelo processo de repatriação de recursos não declarados no exterior.

A apresentação do recurso, segundo o Estado apurou, foi acertada na última sexta-feira, 11, em reunião, no Palácio do Planalto, entre o presidente Michel Temer e a Advogada Geral da União, Grace Mendonça. A decisão de recorrer ao STF também contaria com o aval do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. (Estadão)