Com a autorização do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, foi deflagrada na manhã desta terça (23), a Operação Dracon, que tem por objetivo apurar denúncia de esquema criminoso, envolvendo pagamentos de R$ 31 milhões de sobras orçamentárias da Câmara Legislativa do DF a empresas que prestam serviço à Secretaria de Saúde.

Equipes da Polícia Civil cumpriram mandatos de busca e apreensão no gabinete da presidência da CLDF, e também nos gabinetes de membros da Mesa Diretora. A denúncia teve início com a divulgação de grampos feitos pela distrital Liliane Roriz, que renunciou à vice-presidência da CLDF. Veja a conversa entre Liliane Roriz e Celina Leão, presidente da Câmara, divulgada pelo jornal online Metrópoles:

O TJDFT determinou também o afastamento cautelar dos distritais Celina Leão da presidência da casa; e de Júlio César, Raimundo Ribeiro e Bispo Renato dos cargos da Mesa Diretora. Os citados não ficam afastados, contudo, de suas funções de deputados distritais.

Um substituto para Celina Leão

celina_leao

A presidência da CLDF já tem um novo nome: Juarezão, distrital eleito em 2014 pelo PRTB, que posteriormente migrou para o PSB, do governador Rodrigo Rollemberg. Nos bastidores, Juarezão é chamado de “Maranhão”, em referência ao substituto do deputado Eduardo Cunha na Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão. O presidente foi eleito sem disputa.

“Vou ver se a decisão de afastamento chegou à Casa e conversar com os deputados para tocar os trabalhos para frente. Não quero falar nada agora sobre como a Câmara vai proceder sobre as investigações. O momento, agora, é de muita cautela” (Juarezão sobre o afastamento de Celina Leão)

No caso dos membros da Mesa Diretora, assumem seus suplentes:

  • No lugar do primeiro secretário Raimundo Ribeiro (PPS) entra Agaciel Maia (PR)
  • O deputado Lira (PEN) fica com a segunda secretaria no lugar de Júlio César (PRB)
  • Rodrigo Dessalmo (PTN) substitui o Bispo Renato (PR) na terceira secretaria

O afastamento dos distritais prossegue enquanto as investigações estiverem em andamento. Antes de se afastarem, porém, a Mesa Diretora enviou pedido de cassação de Liliane Roriz para a Corregedoria da Câmara.