Na decisão que mandou prender o doleiro Lúcio Funaro, o ministro Teori Zavascki cita trecho de depoimento de Fábio Cleto, ex-vice-presidente da Caixa Econômica Federal (CEF). Nele, o ex-presidente da Caixa cita como era feita a partilha da corrupção. Segundo Cleto, Lúcio Funaro acertou os detalhes dos pagamentos e informou que o presidente afastado da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) ficaria com 80% da propina em todos os contratos. Funaro ficaria com os 12% restantes. Cleto disse que recebia 4% e o empresário Alexandre Margotto outros 4%. Segundo Cleto, o valor da propina representava 1% do valor dos contratos com recursos do Fundo de Investimento do FGTS. (O Globo)

Dólar sobe a R$ 3,24 com ação do BC; Bolsa avança com exterior positivo

O otimismo predomina nos mercados financeiros globais pela quarta sessão seguida, que ainda reagem às expectativas de que os bancos centrais vão aumentar os estímulos monetários para minimizar os efeitos do “Brexit”, ou seja, a saída do Reino Unido da União Europeia. As Bolsas globais e o petróleo sobem nesta sexta-feira (1), e o dólar cai frente às principais moedas, com exceção do real. (Folha)

Meirelles: sem limite, Estados voltam a quebrar

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta sexta-feira, 1, que a inclusão dos Estados na PEC do teto de gastos é um ponto crucial para evitar a repetição da situação atual de crise financeira nos governos estaduais. “Como estamos até agora, qualquer acordo com os Estados iria durar pouco, os Estados iriam quebrar de novo em poucos anos”, disse o ministro em entrevista à Rádio Estadão. (Estadão)