1. “Efeito impeachment” faz dólar fechar abaixo de R$ 3,50. Euforia do mercado com perspectiva de afastamento de Dilma fez moeda americana cair 2,83% e terminar a R$ 3,49. Para operadores, “parece que o mercado está dando o impeachment quase como uma certeza” (Estadão – p.B3).
  2. Por “agenda positiva”, governo quer anunciar medidas de impulso à economia. Ministérios receberam orientação de desengavetar todas as propostas que possam criar ambiente de incentivo à atividade econômica, mas técnicos do próprio governo temem o impacto desses projetos para as já combalidas contas públicas. Medidas estão sendo analisadas a toque de caixa, mesmo com rombo nas contas públicas que pode chegar a R$ 100 bilhões neste ano (Estadão – p.B1).
  3. O próprio presidente da comissão, deputado Rogério Rosso (PSD-DF), votou a favor do parecer do relator, Jovair Arantes (PTB-GO), embora o PSD tenha orientado o voto contra o impeachment. Esforço do governo se concentrará agora nos partidos que ficaram divididos (PP, PR e PSD). Juntos eles formam bancada de 123 deputados (Estadão – p.A4).

Eventos:

  • 11h – Dilma participa de ato contra impeachment com educadores no Palácio do Planalto.
  • Cunha define processo de votação do impeachment com líderes partidários.