O Ibope realizou uma pesquisa (13 a 17 de fevereiro) para medir o potencial de voto e rejeição dos pré-candidatos a presidente da República nas eleições de 2018.

Hoje, o maior o potencial de votos (soma dos índices “com certeza votaria nele” e “poderia votar nele”) pertence a ex-senadora Marina Silva (41%) e ao senador Aécio Neves (40%), seguido pelo ex-presidente Lula (33%), o senador José Serra (32%), o governador Geraldo Alckmin (30%) e o ex-ministro Ciro Gomes (19%).

tabela

A maior rejeição é de Lula (61%), seguida por Serra (52%), Alckmin (47%), Ciro (45%), Aécio (44%) e Marina (42%).

Nota-se que em relação à pesquisa de outubro, a rejeição de Lula aumentou seis pontos percentuais (de 55% para 61%), enquanto seu potencial de votos caiu oito pontos (de 41% para 33%). No período, a rejeição do ex-presidente foi a única que cresceu acima da margem de erro (dois pontos para mais ou para menos)

Entre outubro do ano passado e fevereiro de 2016, o índice de rejeição dos demais possíveis candidatos caiu: Marina recuou oito pontos; Ciro, sete; Alckmin, cinco; Aécio, três; e Serra, dois.

Porém, o aumento da rejeição em Lula não se refletiu num aumento do potencial de votos dos outros pré-candidatos.

O levantamento mostra que:

  1. As denúncias contra o ex-presidente Lula (PT) atingiram fortemente sua imagem, elevando sua rejeição para mais de 60% e comprometendo seu potencial de voto caso a sucessão de 2018 ocorresse hoje;
  2. O senador Aécio Neves (PSDB) e a ex-senadora Marina Silva (REDE) têm o maior potencial de votos, fato que pode ser explicado pelo recall da última disputa presidencial;
  3. Aécio é o nome mais competitivo do PSDB;
  4. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE) tem o potencial de votos mais baixo;
  5. Lula reduziu seu potencial de votos ao mesmo patamar do governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) e do senador José Serra (PSDB-SP).

Embora a maior rejeição seja a de Lula, os demais nomes também têm um índice elevado (acima de 40%), o que mostra uma alta insatisfação da opinião pública com a política, o que dificulta que algum dos postulantes ao Palácio do Planalto assuma neste momento um favoritismo.

Projeto Lula 2018 está comprometido?

Ainda é cedo para afirmar se uma nova candidatura do ex-presidente Lula está inviabilizada. Porém, caso sua elevada rejeição não seja reduzida, o projeto Lula 2018 ficará comprometido. Mesmo que o ex-presidente ainda conte com um eleitorado fiel (cerca de 1/3 do eleitorado), ele corre o risco de ficar de fora até mesmo do segundo turno.

Tendo Aécio e Marina mais potencial de votos e menor rejeição que o ex-presidente, o segundo turno hoje seria disputado entre eles. O que não é algo positivo para o PSDB, já que no atual cenário de desgaste da política tradicional, Marina pode capitalizar esse sentimento em seu favor.

Ainda é cedo para saber se Marina Silva será realmente o nome que capitalizará politicamente a crise atual em seu favor. Mas a presença da ex-senadora nas primeiras posições sugere que há espaço para uma candidatura com o seu perfil.