Três assuntos que podem movimentar a política nesta quarta-feira:

  1. Lula move 15 ações cíveis e criminais contra jornalistas e personalidades, em tramitação nos tribunais de SP, do Rio e de Brasília. Na sexta-feira, Lula anunciou a iniciativa mais recente: ele interpelará João Doria Jr., pré-candidato do PSDB a prefeito de São Paulo. Doria disse que o ex-presidente é “um sem-vergonha, um cara de pau”.
  2. O ex-ministro José Dirceu decidiu se defender abertamente das acusações contra ele na Operação Lava-Jato, estratégia que poderá atingir o PT. Segundo sua defesa, ele deverá confirmar ao juiz Sérgio Moro, em audiência marcada para sexta-feira, que a indicação de Renato Duque para a Diretoria de Serviços da Petrobras partiu do diretório estadual do PT de São Paulo, e não dele. Essa versão, que compromete a cúpula petista, foi dada pelo lobista Fernando Moura em depoimento ao juiz Sérgio Moro na semana passada.
  3. A Justiça Federal determinou que Dilma e outras testemunhas detentoras de foro privilegiado se manifestem, até 5 de fevereiro, em uma das ações penais da Operação Zelotes. A data coincide com a previsão da Justiça para concluir as oitivas de 90 testemunhas listadas pelos dezesseis réus. Dilma foi arrolada como testemunha de defesa do lobista Alexandre Paes dos Santos, que se encontra preso.

Eventos do dia:

  • 10h – O ministro André Figueiredo (Comunicações) discute regulamentação do Marco Civil da Internet.
  • 11h – Reunião do Conselho de Administração da Petrobras.