Foto: Arquivo

O diretor de Controles Internos e Integridade da Caixa Econômica, Sérgio Ricardo Faustino Batista, foi encontrado morto na sede da instituição na terça-feira à noite por um vigilante.

Segundo a Polícia Civil do DF, o caso foi registrado inicialmente como suicídio. Batista era funcionário de carreira da Caixa – entrou para o banco em 1989 e assumiu a diretoria de controles internos por processo seletivo em março deste ano.

A diretoria que ele ocupava recebe denúncias recebidas pelo canal de atendimento criado pela Caixa sobre qualquer tema, desde corrupção a assédio sexual, como as que levaram à queda do ex-presidente Pedro Guimarães.

Antes de assumir a diretoria de Controles Internos, Batista foi um dos assessores estratégicos de Pedro Guimarães e por muito tempo atuou como seu consultor.

Mudanças

A Caixa Econômica Federal anunciou ontem (19) mudanças em sua corregedoria e afastou da vice-presidência dois nomes que eram ligados ao ex-presidente Pedro Guimarães. A partir de agora, a corregedoria deixa de ser subordinada diretamente à presidência da instituição, vinculando-se ao Conselho de Administração. O conselho é formado por membros 

O objetivo das mudanças, segundo a instituição, é “reforçar a autonomia e isonomia da atuação” da corregedoria. As alterações processadas ontem foram comunicadas em fato relevante ao mercado. 

Foram excluídos da vice-presidência dois nomes próximos a Guimarães: Antonio Carlos Ferreira de Sousa, que estava na vice-presidência de Logística e Operações, e o de Camila de Freitas Aichinger, ex-vice-presidente da Rede de Varejo.

Antonio Carlos Ferreira de Sousa e Camila de Freitas Aichinger retornam ao quadro de empregados da Caixa. A instituição também anunciou a criação de duas novas vice-presidências: uma de Sustentabilidade e Empreendedorismo e outra de Gestão Corporativa, formada pela fusão da vice-presidência de Estratégia e Pessoas com a de Logística e Operações.

As mudanças na estrutura organizacional foram aprovadas pelo Conselho de Administração “a fim de conciliar a sua vocação social e de geração de resultados, aprimorar seus padrões de governança e tornar-se referência em sustentabilidade”, informou a Caixa.

A vice-presidência de Gestão Corporativa será ocupada por Danielle Calazans, funcionária da Caixa desde 2007. O vice-presidente de Sustentabilidade e Empreendedorismo não foi anunciado.

“Busca-se com a adequação ampliar a integração da atuação em temas corporativos aderente às melhores práticas de mercado, proporcionando melhor comunicação interna, otimização, eficiência e fluidez na gestão de pessoas e processos”, afirma o fato relevante.

Autor

  • Jornalista, formado pela UFMG, em 1973. Trabalhou em O Globo, Jornal do Brasil, Jornal de Brasília, Folha de S. Paulo, Assessoria de Imprensa do Ministério da Fazenda e sub-secretário de Imprensa e Divulgação da Presidência da República (1994 a 2003) e integrante da Assessoria Parlamentar da ANTT (2015-2021).