O CEO e fundador da Arko Advice, Murillo de Aragão, participou nesta quinta-feira (14) da formatura do RenovaBR 2021/2022. Durante sua palestra, Aragão destacou a importância da renovação política, da profissionalização dos políticos e da valorização das instituições.

Aragão disse que movimentos como o RenovaBR despertaram na sociedade o desejo da boa participação. “A participação precária da sociedade no processo político fez com que nós terceirizássemos a política para os políticos. Essa falta de interesse e as barreiras impostas pelas estruturas político-partidárias tem gerado essas distorções que temos visto na nossa democracia”.

Ele também destacou que a eleição de 2022 é muito diferente da eleição de 2018. As redes sociais continuam com uma grande importância, a relevância da mídia tradicional continua em baixa, mas não será uma eleição dos extremos e/ou dos outsiders. A população quer eleger políticos responsáveis, com visões atuais de mundo e com experiência, seja na esfera pública seja na esfera privada”.

Por fim, Murillo destacou que “boas soluções não têm lado. Não importa se é de esquerda ou de direita, a gente tem que dialogar e buscar soluções para os problemas reais do Brasil”.

Durante a mesa, o ex-senador e ex-governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, disse que “ninguém nasce liderança. É através do treinamento que se torna uma. Eu não nasci sabendo falar em público, foi treinamento. É por isso que o Renova é tão importante”.
Hartung também criticou a oligarquização da política. “As estruturas oligárquicas na política brasileira são um problema. A política não pode ser eternizada, onde a família inteira possui cargo público eletivo. A gente precisa oxigenar nossos espaços democráticos, com novas pessoas e novas ideias.

Autor

  • Pedro Leal é Jornalista e Cientista Político, formado pela Universidade de Brasília. Trabalha na Arko Advice há mais de dois anos, atualmente como analista político com foco em inteligência no legislativo e mapeamento de stakeholder. Tem experiência no atendimento de fundos de investimento internacionais, associações de classe e multinacionais. Foi um dos coordenadores do Projeto Politeia, projeto de simulação do processo legislativo da Câmara dos Deputados e UnB.