Foto: Elaine Menke/Câmara do Deputados

Na noite desta terça a sessão registrava 476 deputados, o número já cresceu e atinge 481 parlamentares. Com o painel aberto, Lira consegue retomar a sessão e realizar a votação remota sem prejuízos, já que o sistema Infoleg foi reestabelecido.

O artigo 70 que será usado em questão de ordem no Plenário diz que o “presidente poderá suspender a sessão por uma única vez pelo prazo máximo de uma hora findo o qual considerar-se-á encerrada”.

A oposição destaca que esse trecho foi incluído no regimento na gestão do próprio Arthur Lira. “Ele terá que abrir novo painel. Não existe suspender sessão por mais de uma hora. É o regimento que ele mesmo fez”, declarou Bira do Pindaré, líder do PSB. Caso seja aberta nova sessão, o risco para o governo na votação dos destaques aumenta.

Estratégia da base

Nos bastidores, o governo já trabalha com a possibilidade de que a oposição não ceda e seja necessário abrir nova sessão, o que obriga novo registro de presença. Se esse for o caso, é provável que a votação também seja realizada somente no período da tarde.

Arthur Lira se reúne nesta manhã de quarta-feira (13) com deputados da oposição para tentar um acordo. Em seguida, terá encontro com a base governista.

Autores

  • Editora-chefe na Arko Advice, desde fevereiro de 2022. Antes, atuou como repórter de política na CNN Brasil. Foi correspondente internacional em Nova Iorque pela Record TV. Atua em redação há 18 anos.

  • Jornalista brasiliense formado pela Universidade de Brasília (UnB). Tem passagem como repórter pelo Correio Braziliense, Rádio CBN e Brasil61.com. No site O Brasilianista cobre economia e política.