O ex-ministro Sergio Moro (União Brasil) anunciou que será candidato ao Senado pelo Paraná (PR). A decisão acirra a disputa à cadeira no estado. Até o anúncio da candidatura do ex-ministro, o senador Álvaro Dias (Podemos), que renovará seu mandato em outubro, era considerado o grande favorito.

Segundo a última pesquisa Ipespe, realizada de 29 de junho a 1º de julho, Álvaro Dias lidera a disputa ao Senado com 31% das intenções de voto. O segundo colocado é Sergio Moro com 24%. Na terceira posição está o ex-deputado federal Dr. Rosinha (PT) com 10%.

Ao se postar como candidato ao Senado, a relação entre Álvaro Dias e Sergio Moro pode ser abalada, pois a entrada de Moro na disputa representa uma ameaça ao favoritismo de Álvaro. Vale lembrar que, quando ingressou na política, Moro se filiou ao Podemos, tendo Álvaro Dias como grande aliado.

Aproveitando seu prestígio no Paraná, Sergio Moro apostará na popularidade que a Operação Lava Jato ainda tem no estado. No anúncio de sua candidatura a senador, atrás do púlpito onde o ex-ministro falava, foi projetado um Powerpoint com a foto do empresário Marcelo Odebrecht.

Outro aspecto a ser ressaltado é que Moro, caso se eleja senador, se farda como líder da oposição.

Na entrevista que concedeu à Folha de S. Paulo no último sábado (9), o ex-ministro, ao admitir a “tentação” de concorrer ao Senado, afirmou que “no caso de uma eventual vitória do ex-presidente Lula (PT), é natural que eu me coloque na oposição para liderar uma resistência necessária a políticas públicas indesejáveis relação ao país e também ser uma voz no Congresso em favor da integridade e do combate à corrupção”.