Em ordem, Fernando Haddad (PT), Rodrigo Garcia (PSDB) e Tarcísio de Freitas (Republicanos).

A pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quinta-feira (07) sobre as eleições em São Paulo (SP) mostra três players como protagonistas: o ex-prefeito Fernando Haddad (PT), o ex-ministro Tarcísio de Freitas (Republicanos) e o governador Rodrigo Garcia (PSDB). Apesar do ex-governador Márcio França (PSB) aparecer bem na disputa ao Palácio dos Bandeirantes, a tendência é que França concorra ao Senado na chapa de Haddad.

No primeiro cenário testado, Haddad lidera com 29% das intenções de voto. Em segundo lugar aparece França com 18%. Em seguida figuram Tarcísio (12%) e Garcia (8%). Os demais candidatos somam 5%. Brancos, nulos e indecisos somam 28%.

No segundo cenário, sem a presença de França, Haddad atinge 35%. Na segunda posição temos um quadro de empate técnico entre Tarcísio (14%) e Garcia (12%) em função da margem de erro da pesquisa – 2 dois pontos percentuais para mais ou para menos. Os demais candidatos somam 4%. Brancos, nulos e indecisos somam 36%.

E no terceiro cenário, com apenas três candidatos, Fernando Haddad lidera com 38%. Tarcísio de Freitas soma 15% e Rodrigo Garcia tem 14%. Brancos, nulos e indecisos atingem 33%.

O Quaest também testou um cenário com os apoios dos pré-candidatos a governador. Com o apoio do ex-presidente Lula (PT) e do ex-governador Geraldo Alckmin (PSB), Haddad atinge 39%. Apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), Tarcísio praticamente dobra sua intenção de voto, chegando aos 28%. E Garcia, como candidato independente, registra 17%. Brancos, nulos e indecisos somam 33%.

Mantido o atual cenário, a tendência é que Fernando Haddad dispute o segundo turno contra Tarcísio de Freitas ou Rodrigo Garcia, que devem travar uma acirrada disputa.

Num eventual segundo turno, Fernando Haddad venceria Tarcísio de Freitas (44% a 28%) e Rodrigo Garcia (42% a 27%).

Na primeira pesquisa ao Senado sem a presença do apresentador da TV Bandeirantes, José Luiz Datena (PSC), que desistiu de concorrer na semana passada, o grande favorito é Márcio França (PSB).

De acordo com a Quaest, França lidera com 27% das intenções de voto. O ex-presidente da FIESP Paulo Skaf (Republicanos) aparece com 13%. A deputada federal Carla Zambelli (PL) atinge 9%. E a deputado estadual Janaína Paschoal (PRTB) registra 7%. Brancos, nulos e indecisos somam 29%.

Apesar da liderança de França, é importante ponderar que o bolsonarismo ainda não definiu seu candidato, que deve ser Skaf, Zambelli ou Janaína. Caso os aliados do presidente Jair Bolsonaro tenham apenas um candidato, a disputa ao Senado poderá se acirrar. Já se o bolsonarismo tiver mais de um candidato, o eleitorado de direita se pulverizaria, beneficiando França.