Foto: David Ramos/Getty Images

Desde as 5h desta quarta-feira, as operadoras de telefonia Tim, Claro e Vivo, estão liberadas para oferecer ao usuário serviço da rede 5G no Distrito Federal. A operação será realizada na faixa de 3,5 GHz e foi autorizada conforme decisão tomada pelo Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência na faixa de 3.625 a 3.700 MHz (Gaispi) na segunda-feira.

Os chips do G5 puro (standalone), que garantem maior velocidade na transmissão de dados, estão à disposição dos interessados em lojas que comercializam itens de informática e telecomunicações.

Brasília é a primeira cidade do país a ter cobertura da quinta geração de internet móvel. Outras capitais de estado, como Belo Horizonte, Porto Alegre, João Pessoa e São Paulo estão na fila e devem ser as próximas a oferecer a novidade tecnológica.

O chamado “5G puro” usa infraestrutura totalmente nova e dedicada para atender à nova tecnologia, sem aproveitar a rede existente para o 4G. 

Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o serviço estará disponível em 80% do território do Distrito Federal, com apoio de mais de cem estações espalhadas pela região da capital e do entorno. Elas receberam antenas das operadoras de telefonia.

Nas redes 5G a cobertura de determinada área exigirá grande número de estações base, o que aumentará a complexidade da infraestrutura, segundo especialistas. As futuras cidades a serem atendidas terão que superar barreiras à implantação de infraestrutura para garantir a segurança digital no funcionamento da nova tecnologia. O número de antenas também levará a maior consumo de energia

Autor

  • Jornalista, formado pela UFMG, em 1973. Trabalhou em O Globo, Jornal do Brasil, Jornal de Brasília, Folha de S. Paulo, Assessoria de Imprensa do Ministério da Fazenda e sub-secretário de Imprensa e Divulgação da Presidência da República (1994 a 2003) e integrante da Assessoria Parlamentar da ANTT (2015-2021).