Início Congresso Câmara dos Deputados Relator da PEC dos Auxílios quer gatilho para que crise financeira flexibilize...

Relator da PEC dos Auxílios quer gatilho para que crise financeira flexibilize teto de gastos

Deputado também avalia inclusão de motoristas de aplicativo entre os beneficiários

Concessões federais sobem e chegam a R$ 9,2 bilhões em 2020

O deputado Danilo Forte (União-CE), relator da PEC dos Auxílios, defende uma espécie de gatilho para que o teto de gastos seja flexibilizado em momentos de crise financeira. A proposta seria uma forma de dispensar o trecho que determina estado de emergência, aprovado pelo Senado como medida para driblar o teto de gastos.

“Em relação ao estado de emergência, defendo que a própria Lei do Teto de Gastos já autorize o aumento de despesas em casos de crise financeira ou calamidade – exatamente o que temos vivenciado no Brasil desde a pandemia e com a Guerra da Ucrânia”, afirmou em nota.

Conforme texto aprovado pelo Senado, o projeto traz pacote para turbinar programas como o Auxílio Brasil, Alimento Brasil, vale-gás, além de estabelecer repasses a caminhoneiros e taxistas como forma de compensação pelo alto preço dos combustíveis.

Nos bastidores da Câmara, há uma pressão para ampliar o escopo de beneficiários. Um dos casos avaliados é incluir a categoria de motoristas de aplicativo, já que os taxistas foram contemplados com reserva de um montante de R$ 2 bilhões para os repasses . A proposta tem o apoio de Danilo Forte, mas o relator pondera: “É relevante enfatizar que se tratam de sugestões. Eventuais alterações ocorrerão dentro de um consenso”, escreveu.

A PEC já tem custo estimado em R$ 41 bilhões extrateto, cheque considerado bastante vultuoso para a equipe econômica. Até o momento, o dispêndio não encontra apoio nem aval de Paulo Guedes, ministro da Economia.

O relator discutiu a PEC na noite de segunda-feira (04) em reunião com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e concederá entrevista coletiva à imprensa nesta manhã de terça-feira (05), às 10h30, para falar sobre o que for decidido.

Autor

  • Jornalista brasiliense formado pela Universidade de Brasília (UnB). Tem passagem como repórter pelo Correio Braziliense, Rádio CBN e Brasil61.com. No site O Brasilianista cobre economia e política.