(Brasilia - DF, 27/06/2022) Cerimônia de Sanção da PL nº 342/2019; PL nº 2486/2021; PLV nº 13/2022; e PL nº 1280/2022. Foto: Alan Santos

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), em vídeo gravado hoje (4) para o Fórum Econômico Brasil & Países Árabes, ressaltou a importância dos laços comerciais entre os países da Liga Árabe e o mercado brasileiro. Em 2021, os valores comercializados alcançaram um recorde, ultrapassando US$ 24 bilhões. Com isso, os países árabes estão posicionados como terceiro maior parceiro comercial do Brasil, atrás apenas de China e Estados Unidos.

Ainda no vídeo, o presidente destacou a expansão do número de embaixadas brasileiras nos países que integram a Liga Árabe como símbolo da aproximação entre a liga e o Brasil. Hoje, o Brasil conta com representação diplomática em 18 dos 22 países que compõem a liga. Além de ter visitado duas vezes a região do Golfo durante seu governo, Bolsonaro lembrou que em novembro do ano passado, o Brasil recebeu, pela primeira vez, a visita de um chanceler da Arábia Saudita. Para este ano, o governo espera receber visitar do presidente dos Emirados Árabes Unidos, do príncipe Saudita, do Emir do Catar e do rei do Bahrein.

O secretário de assuntos estratégicos, almirante Flávio Rocha, esteve em missão nos países da Liga buscando o estabelecimento de novos fluxos comerciais para o Brasil. Ao destacar a missão do secretário, Bolsonaro afirmou que em um momento de buscas globais por segurança alimentar, o Brasil se apresenta como solução, pois nem a pandemia impediu o país de cumprir suas tarefas como produtor. O Brasil é o maior exportador de proteína halal (certificação que garante exigências islâmicas na produção da carne) para o mundo, afirmou o presidente.

No vídeo, Bolsonaro lembra que além dos mercados de carne bovina e de frango, cresceram as exportações de açúcar, soja e trigo. Em relação às importações, o mundo árabe fornece 26% dos fertilizantes que o Brasil compra. Assim, a manutenção das relações comerciais com os árabes é estratégica.

Em relação aos países africanos, Bolsonaro disse que no ano passado a Argélia ocupou o posto de principal parceiro comercial do Brasil. Já o Egito é o maior importador de carne bovina brasileira. O Marrocos, por sua vez, é o país que mais exporta para o Brasil.

Sobre investimentos, o presidente disse que os fundos árabes são uns dos mais importantes para o Brasil. A participação ExpoDubai, segundo Bolsonaro, gerou negócios na casa dos 10 bilhões de dólares. No total, as estimativas apontam até 20 bilhões de dólares provenientes de fundos árabes em investimentos no Brasil. O principal objetivo brasileiro é concluir os acordos que facilitem e incentivem investimentos, evitando dupla tributação e abrindo novos canais de negócios com os países árabes, disse Bolsonaro.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, não esteve presente no Fórum, apesar de ter agendado sua participação. O ministério enviou Lucas Ferraz, secretário de Comércio Exterior, para representar a pasta. O secretário, em sua apresentação, fez um balanço sobre as ações do governo Bolsonaro para a abertura comercial, para a redução de barreiras e a eliminação de burocracias no comércio exterior.