Ciro Gomes discursa no lançamento da pré-candidatura. Foto: PDT/Divulgação

Durante evento promovido pela CNI, Ciro Gomes, pré-candidato à presidência pelo PDT, defendeu que a indústria deve estar no centro da estratégia desenvolvimentista do país e afirmou que fará isso por meio do Ministério da Indústria e do Comércio. Ciro também se disponibilizou para discutir, criticar e repensar os recursos públicos do seu plano de governo para as mudanças sugeridas pela indústria. “Sem uma indústria poderosa que lidere o centro da estratégia de desenvolvimento, nenhuma nação do planeta terra se desenvolveu”, completou.

Segundo ele, a partir de seu Plano de Desenvolvimento Nacional, é necessário estabelecer um mecanismo de consulta, para que o governo possa hierarquizar a prioridade de investimentos em tempo de escassez de recursos, levando em consideração o planejamento industrial.

O Plano de Ciro Gomes pretende estabelecer os papéis de cada setor, ministério e poder, estipulando metas e prazos para serem alcançados, além de definir orçamento e a utilização de capitais. O pré-candidato afirmou que o Plano vem para trazer um norte interno para que se reflita no comércio exterior, porque na sua avaliação o Brasil não sabe para onde está indo com os produtos produzidos no país, que está em desvantagem no mercado por causa da ausência de escala, financiamento e tecnologia.

Para Ciro Gomes, o seu governo terá três focos:
1 – Aumentar o capital bruto nacional, sendo este o primeiro passo para que o Brasil possa sair da estagnação econômica e viabilizar investimentos com o próprio capital.
2 – Construir um sistema de cooperação entre as instituições (estado, iniciativa privada e sociedade civil). Assim, ele acredita, o país poderá investir em pessoas que são a base para o desenvolvimento nacional.
3 – Objetivos nacionais permanentes que esclareçam onde o país quer e precisa chegar, sem embate ideológico.

Reforma Tributária

Ciro Gomes defendeu a aprovação da reforma tributária, com a criação de um tributo único sobre o valor adicionado. Ele disse que o atual sistema prejudica o empresário formal com compliance, que paga a carga tributária cheia e nominal, sem direito a se evadir e ainda contribui para a informalidade.

Construção Civil

Ao ser questionado sobre infraestrutura, Ciro Gomes declarou que a construção civil é a chave, a curto prazo, para geração explosiva de emprego. Ele disse que o setor contempla pessoas que não precisam de tanta qualificação, pegando o grosso da população, não depende expressivamente da importação de insumos e gera um retorno econômico e produtivo considerável. Ciro também reiterou a importância do setor para a construção de ferrovias, importante passo para o crescimento do país.

Autor