Foto: Reprodução/OCDE

Na última terça-feira (14), aconteceu o evento Brasil Investment Forum 2022 (BIF 2022). O secretário-executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys, participou da reunião no painel “A Entrada do Brasil na OCDE e os impactos para os investidores”, onde enfatizou a possibilidade do Brasil se tornar membro da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) como uma das prioridades do atual governo.

De acordo com o secretário, a otimização dos gastos públicos o atendimento das necessidades da sociedade, a abertura comercial, a redução de impostos e a melhoria do ambiente de negócios e regulatório para atração de investimentos, são os focos do governo brasileiro.

Ter encaminhado a adesão do Brasil à OCDE, “é um estímulo para que continuemos a fazer nossas reformas e melhorar nossas políticas de forma ainda mais rápida”. ” O Brasil, por suas características, pode funcionar como uma ponte para estimular países em desenvolvimento, com realidade similar à brasileira, para também melhorarem suas práticas e políticas públicas”, comentou Guaranys.

Sobre a questão da infraestrutura, o secretário Bruno Westin, do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI), debateu no “painel sobre infraestrutura e competitividade”, a consolidação da privatização da Eletrobras, como o mundo tem enxergado o Brasil, com estabilidade, quando está em pauta, causas como investimento em infraestrutura e de longo prazo. Segundo Westin, o PPI deixou de fazer resoluções pontuais e passou a desenhar uma carteira de projetos, criando oportunidades para a criação de empresas e a atração de investidores ao país.

Pela primeira vez em formato híbrido, o Brasil Investment Forum 2022 foi realizado com participações presenciais e remotas, por meio das plataformas digitais. O evento discute temas relacionados a setores de destaque como infraestrutura, energia e tecnologia da informação.