Foto: Sony Lacerda

Caminhoneiros autônomos dão como provável uma interrupção das atividades. De acordo com Wallace Landim, presidente da Abrava (Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores), também conhecido como “Chorão”, a paralisação pode ocorrer tanto porque os custos do transporte ficarão inviáveis como por uma greve da categoria.

“A verdade é que, de uma forma ou de outra, mantendo-se essa política cruel de preços da Petrobras, o país vai parar novamente. Se não for por greve, será pelo fato de se pagar para trabalhar. A greve é o mais provável”, diz a nota da associação.

A manifestação veio após anúncio da Petrobras feito na manhã desta sexta-feira (17) sobre novo reajuste nos preços dos combustíveis. A partir de sábado (18), o preço médio de venda do diesel para as distribuidoras passará de R$ 4,91 para R$ 5,61 por litro – aumento de 14,2%. Já o preço médio de venda de gasolina passará de R$ 3,86 para R$ 4,06 por litro – aumento de 5,18%.