O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Paulo Alvim, recebeu na última terça-feira (31) o embaixador do Uzbequistão no Brasil, Javlon Vakhabov. A cooperação bilateral em ciência, tecnologia, inovação, educação e pesquisa estiveram entre as pautas debatidas na reunião.

O embaixador Javlon pontuou que o Uzbequistão deseja “aprender” com o Brasil, especialmente, nos ramos das pesquisas agropecuárias, biotecnologia e transformação digital.

“Buscamos com essa cooperação aperfeiçoar, por exemplo, a pesquisa e o cultivo de soja e algodão, além da produção de carne em nosso país. O Brasil é uma referência mundial nesses estudos e será um parceiro de grande relevância para o Uzbequistão”, afirmou o embaixador.

Alvim colocou à disposição a estrutura de unidades vinculadas do ministério e propôs a criação de uma agenda de cooperação Brasil–Uzbequistão focada no compartilhamento de conhecimento entre os pesquisadores das duas nações. “Contem com o apoio de nossas unidades de pesquisa e institutos. A parceria é, sem dúvida, muito proveitosa aos dois países, capaz de gerar ótimos frutos para a inovação e economia brasileira e uzbeque”, declarou Alvim.

O chefe da Assessoria Especial de Assuntos Internacionais do MCTI, Bernardo Milano, sugeriu a realização de seminários presenciais, webnários e demais eventos com a participação de pesquisadores e especialistas dos dois países, a fim de promover o intercâmbio de conhecimento. “Apostar nesse tipo de troca é uma forma de investir na ciência, tecnologia e inovação. Logo daremos o primeiro passo dessa importante cooperação”, concluiu.