Reforma tributária ajudará a resolver a falta de crescimento no Brasil, diz presidente da CNI
Foto: Saulo Cruz

O Ministério da Economia prevê corte de gastos que pode chegar a R$ 16 bilhões para o segundo bimestre. Dentre os alvos estão as emendas RP2 (de bancadas), RP8 (de comissões permanentes) e RP9 (de relator) do Congresso Nacional.

“Eventualmente, uma necessidade de bloqueio ou de corte dado os aumentos [de despesa]. Aí a gente vai olhar a RP2, RP8 e RP9 e fazer os eventuais bloqueios ou cortes que forem necessários. Vamos buscar preservar os ministérios que estão com muita dificuldade orçamentária, o Ministério da Economia é um caso”, explica o Secretário de Tesouro Nacional, Esteves Colnago.

As emendas parlamentares dão viabilidade ao legislativo para destinar o orçamento público para determinadas causas, dentre elas as causas sociais e necessidades estaduais. No início deste mês, o presidente da Comissão Mista do Orçamento (CMO), Celso Sabino (União-BA), defendeu as emendas e prometeu a transparência delas.

“Não há ministro de Estado, seja do PT ou de Bolsonaro, que conheça mais do que os parlamentares as regiões, as dificuldades, a necessidade de construção de pontes, estradas e escolas. O que a gente pretende fazer é dar a todos a tranquilidade de que a resolução de problemas sociais por indicação dos parlamentares é um mecanismo legítimo e justo.” declarou.

Autor

  • Jornalista brasiliense formado pela Universidade de Brasília (UnB). Tem passagem como repórter pelo Correio Braziliense, Rádio CBN e Brasil61.com. No site O Brasilianista cobre economia e política.