O governador do Rio de Janeiro (RJ), Cláudio Castro (PL), lidera os três cenários estimulados sobre a disputa ao Palácio Guabanara. É o que aponta a pesquisa divulgada nesta terça-feira (17) pela Genial/Quaest. O segundo colocado é o deputado federal Marcelo Freixo (PSB).

No primeiro cenário, Castro lidera com 25% das intenções de voto. Freixo aparece com 18%. O ex-prefeito de Niterói (RJ) Rodrigo Neves (PDT) registra 8%. O presidente da Assembleia Legislativa, André Ceciliano (PT), e o deputado federal Paulo Ganime (Novo) têm 2% cada um. E o ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Felipe Santa Cruz (PSD), que é o candidato do prefeito do RJ, Eduardo Paes (PSD), soma 1%. Brancos, nulos e indecisos atingem 43%.

No segundo cenário, o cenário é similar. Castro Lidera com 26%. Em seguida aparecem Freixo (19%), Neves (8%), Ganime (2%) e Santa Cruz (2%). Brancos, nulos e indecisos atingem 44%.

E no terceiro cenário, Castro lidera a disputa com 27%. Freixo é o segundo colocado com 19%. Neves registra 9%. E Ganime tem 3%. Brancos, nulos e indecisos somam 43%.

Nas simulações de segundo turno, Cláudio Castro venceria Marcelo Freixo (38% a 27%) e Rodrigo Neves (38% a 24%).

Apesar da liderança de Cláudio Castro, a disputa no RJ está indefinida. Além de grande contingente de eleitores “sem candidato” (brancos, nulos e indecisos), que gira entre 30% a 40%, quando Marcelo Freixo é associado ao ex-presidente Lula (PT), o pré-candidato do PSB atinge 40% das intenções de voto. Castro, por sua vez, associado ao presidente Jair Bolsonaro (PL), teria 37% neste cenário. Esses números explicam porque, ontem (17), Cláudio Castro afirmou que não deseja nacionalizar a eleição no estado. O governador declarou, em entrevista ao “O Globo”, que apoia Bolsonaro, mas não irá criticar Lula.

O Quaest também testou cenário sobre a eleição presidencial no RJ. Lula e Bolsonaro dividem a liderança com 35% das intenções de voto. O terceiro colocado é o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) com 6%. O ex-governador João Doria (PSDB-SP) e o deputado federal André Janones (Avante) registram 2% das intenções de voto cada um. E a senadora Simone Tebet (MDB) soma 1%. Brancos, nulos e indecisos atingem 19%.

Num eventual segundo turno, Lula venceria Bolsonaro por 47% a 38%.