Foto: Divulgação

A pesquisa Genial/Quaest mostra melhora na popularidade do governo Jair Bolsonaro. A avaliação negativa caiu quatro pontos percentuais (51% para 47%) em relação a fevereiro. A avaliação positiva, por outro lado, cresceu quatro pontos (22% para 26%) no mesmo período. O índice regular ficou estável em 25%. Nota-se que a queda na avaliação negativa é igual ao crescimento da avaliação positiva, o que sugere que eleitores que antes desaprovavam o governo passaram agora a aprová-lo.

A melhora na popularidade de Bolsonaro está sendo puxada pelas regiões Sul, Norte e Centro-Oeste. No Sul, nos últimos dois meses, a aprovação do governo cresceu 15 pontos (22% para 37%) enquanto a desaprovação caiu 10 pontos (49% para 39%). No Norte, nesse mesmo período, a avaliação positiva cresceu dez pontos (25% para 35%) enquanto desaprovação caiu 14 pontos (48% para 34%).

E no Centro-Oeste, a avaliação negativa, embora tenha oscilado positivamente dois pontos para cima (42% para 44%) nota-se uma subida de quatro pontos (26% para 30%) na aprovação do governo.

Os principais problemas para o governo em termos de apoio regional estão concentrados no Sudeste e Nordeste, as duas maiores regiões do país. No Sudeste, 46% avaliam o governo negativamente. Por outro lado, a avaliação positiva é de 26%. No entanto, nos últimos dois meses, a aprovação do governo cresceu três pontos nessa região. E no Nordeste, a avaliação negativa é de 58%, enquanto a positiva registra apenas 17%.

A avaliação do governo por regiões mostra uma divisão do país que já era esperada. Desde 2006, o Nordeste vota majoritariamente no PT em eleições presidenciais. Não é por acaso que o governo Bolsonaro é muito rejeitado entre os nordestinos. O Norte costuma se dividir. E as regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste pendem para a direita.