Arko responde: voto impresso passa?
Foto: Elza Fiúza/ABr

A Genial/Quaest divulgou hoje (22) uma pesquisa de intenção de voto sobre as eleições no Rio de Janeiro (RJ). Embora a disputa comece polarizada entre o governador Cláudio Castro (PL) e o deputado federal Marcelo Freixo (PSB), o candidato que for escolhido da aliança PSD/PDT – o ex-presidente da Ordem dos Advogados Brasil (OAB) Felipe Santa Cruz ou o ex-prefeito de Niterói (RJ) Rodrigo Neves (PDT) – mostram potencial.

No primeiro cenário testado, Castro lidera com 21% das intenções de voto. O segundo colocado é Freixo com 17%. Neves registra 9%. O presidente da Assembleia Legislativa, André Ceciliano (PT), aparece com 4%. Santa Cruz tem 3%. E o deputado federal Paulo Ganime (Novo) registra 1%. Brancos, nulos e indecisos somam 45%.

No segundo cenário, Castro tem 22% e Freixo soma 18%. Como a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, os dois estão tecnicamente empatados. Rodrigo Neves tem 10%. Em seguida aparecem Santa Cruz (3%) e Ganime (2%). Brancos, nulos e indecisos somam 46%.

No terceiro cenário, Castro (24%) e Freixo (20%) empatam novamente na liderança. Em seguida figuram Santa Cruz (4%) e Ganime (4%). Brancos, nulos e indecisos somam 48%.

E no quarto cenário, Castro lidera com 23%. O segundo colocado é Freixo com 18%. Neves tem 10%. Ganime aparece com 2%. Brancos, nulos e indecisos somam 46%.

Nas simulações de segundo turno, Cláudio Castro e Marcelo Freixo aparecem tecnicamente empatados: 34% a 30% a favor do governador. No entanto, numericamente, Castro está quatro pontos à frente de Freixo.

Castro também venceria Santa Cruz (39% a 15%), Ganime (40% a 11%) e Rodrigo Neves (36% a 20%. Freixo, por sua vez, venceria Neves (29% a 24%).

Apesar da disputa no RJ estar em aberto, a pesquisa pode ser considerada positiva para o governador Cláudio Castro. Além de liderar todos os cenários de primeiro e segundo turno, seu governo tem uma avaliação regular de 42%. 22% dos entrevistados consideram a gestão positiva (ótimo/boa) e apenas 19% o avaliam negativamente (ruim/péssimo).

Outro dado importante para Castro é que 48% dos entrevistados entendem que Cláudio Castro merece uma segunda chance como governador. Outros 40% entendem que não.

Apesar desses aspectos colocarem hoje Cláudio Castro na condição de favorito, merece atenção o fato de Marcelo Freixo, quando associado ao ex-presidente Lula (PT), assumir a liderança com 41% das intenções de voto. Nesse cenário, Castro fica em segundo lugar com 36%. Também vale registrar que há um grande contingente de eleitores “sem candidato” (brancos, nulos e indecisos), que chegam próximos aos 50% mesmo nos cenários estimulados.

Disputa Presidencial

Em relação à disputa presidencial, Lula lidera os dois cenários testados. No primeiro deles, o ex-presidente registra 39%. O presidente Jair Bolsonaro (PL) é o segundo colocado com 31%. Os ex-ministros Ciro Gomes (PDT) e Sergio Moro (Podemos) aparecem com 5% cada. O deputado federal André Janones (Avante) tem 3%. Os governadores de São Paulo (SP), João Doria (PSDB), do Rio Grande do Sul (RS), Eduardo Leite (PSDB), e a senadora Simone Tebet (MDB), têm 1%. Brancos, nulos e indecisos somam 15%.

No segundo cenário, Lula tem 41%. Bolsonaro registra 32%. Ciro aparece com 7%. Doria e Leite somam 2%. Brancos, nulos e indecisos contabilizam 16%.

Nas simulações de segundo turno, Lula venceria todos os possíveis adversários: Bolsonaro (47% a 36%), Moro (46% a 25%) e Doria (49% a 14%). Bolsonaro, por sua vez, venceria Moro (38% a 31%) e Doria (40% a 26%).

Apesar de Jair Bolsonaro ter no RJ, seu reduto eleitoral, um desempenho superior ao registrado no país, seu governo também é mal avaliado entre o eleitorado fluminense.

De acordo com a Quaest, a avaliação negativa (ruim/péssimo) do governo federal é de 47%. Outros 26% o positivamente (ótimo/bom). E também 26% têm uma avaliação regular do governo.