O boletim Focus publicado pelo Banco Central (BC), nesta segunda-feira (21), mostra que a expectativa do mercado financeiro para a inflação se mantém em alta. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou a semana em 6,59%, uma alta de 0,14 p.p., quando comparada a semana anterior (6,45%). Com esse número, o mercado continua esperando que a inflação ultrapasse o teto da meta, que é de 5%, estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

A expectativa para a inflação é pressionada pelos aumentos recentes no preço dos combustíveis e a incerteza sobre o fornecimento de fertilizantes por conta da guerra na Ucrânia.

A perspectiva da Taxa Básica de Juros (Selic) também apresentou alta. Na semana passada era de 12,75%, já para essa semana passou para 13% (aumento de 0,25 p.p.). O resultado do aumento vem após o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciar, na última semana, a alta de 1 ponto percentual na taxa básica de juros, de 10,75% ao ano (a.a.) para 11,75% a.a.

A expectativa para o Produto Interno Bruto (PIB) aumentou. O mercado espera que, em 2022, o Brasil tenha crescimento de 0,50%, uma alta de 0,01 pontos percentuais (p.p) quando comparado à semana anterior (0,49%). Já a projeção para o câmbio foi o único indicador que se manteve estável, com a expectativa para o dólar em R$ 5,30 no final de 2022.

Autor

  • Jornalista pela Universidade Católica de Brasília. Nascida em Brasília-DF, tem passagem como repórter na Rádio Senado. No site O Brasilianista cobre política e economia.