Foto: Divulgação/Santos

A administradora do porto de Santos – Santos Port Autorithy (SPA), divulgou o resultado do lucro liquido de 2021. De acordo com o documento, no ano passado, o lucro líquido foi de R$ 329,14 milhões, um aumento de 62,6% em relação ao resultado obtido em 2020. Com esse lucro, a empresa quer distribuir R$ 303 milhões à União como dividendos.

Para o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, o resultado obtido decorre da profissionalização da administração do porto. A unidade acumulava seguidos prejuízos, ano após ano, e era conhecida como cabide de emprego de políticos. A proposta de pagamento do dividendo à União será votada em assembleia no dia 22 do mês que vem.

“Estamos propondo o pagamento máximo. É um recorde histórico para a companhia”, afirma o diretor financeiro da empresa, Marcus Mingoni.

A SPA fechou o ano de 2021 com caixa de R$ 1,28 bilhão – o valor líquido, descontando a dívida, é de R$ 657,4 milhões. O plano é chegar ao fim deste ano com um caixa total superior a R$ 1,7 bilhão.

Dentro do processo de privatização do porto, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) prorrogou até 23h59 da próxima quarta-feira (23), o período da consulta pública sobre a desestatização do Porto de Santos. Os documentos preliminares que embasam o processo e o formulário eletrônico para registro de sugestões e comentários estão disponíveis no site da Antaq.

Após a análise das contribuições colhidas na consulta, a agência espera fechar a proposta do edital da desestatização e submetê-la, em seguida, à análise do TCU, que tem até 150 dias para se manifestar. Já foram feitas duas sessões publicas para discutir a proposta de concessão do porto submetida à sociedade, a primeira em 10 de fevereiro e a segunda no dia 15 deste mês.

A expectativa do Ministério da Infraestrutura é de que o leilão possa ocorrer até o fim deste ano. A previsão é que o concessionário faça investimentos de R$ 16 bilhões na modernização do porto.

Autor

  • Jornalista brasiliense formado pela Universidade de Brasília (UnB). Tem passagem como repórter pelo Correio Braziliense, Rádio CBN e Brasil61.com. No site O Brasilianista cobre economia e política.