Teclado da Urna Eletrônica. Matéria Voto Impresso
Teclado da Urna Eletrônica. Foto: Nelson Jr./ASICS/TSE

A pesquisa CNT/MDA divulgada hoje (21) sobre a sucessão presidencial aponta que o ex-presidente Lula (PT) lidera a disputa com 42,2% das intenções de voto. O segundo colocado é o presidente Jair Bolsonaro (PL) com 28%. Nota-se que em relação a pesquisa realizada em dezembro do ano passado, Bolsonaro foi o único que cresceu, tendo conquistado 2,4 pontos percentuais nos últimos dois meses, acima da margem de erro, que é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Lula, por sua vez, oscilou negativamente 0,6 ponto.

O terceiro colocado é Ciro Gomes (PDT) com 6,7%. Ele está tecnicamente empatado com Sergio Moro (Podemos), que registra 6,4%. Em relação a dezembro, Ciro oscilou positivamente 1,4 ponto percentual, enquanto Moro perdeu 2,5 pontos, sendo o único pré-candidato que caiu no levantamento.

O governador de São Paulo (SP), João Doria (PSDB), tem 1,8%. O deputado federal André Janones (Avante) registra 1,5%. A senadora Simone Tebet (MDB) aparece com 0,6%. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), e o cientista político Luiz Felipe D´Ávila (Novo) somam 0,3% cada um. Brancos, nulos e indecisos contabilizam 12,2%.

Conforme podemos observar, o cenário de polarização Lula x Bolsonaro não foi alterado. Porém, a partir do pagamento do Auxílio Brasil, e dos ataques que a pré-campanha de Lula vem sendo alvo, a distância de Lula para Bolsonaro está se reduzindo.

Embora a polarização continue sendo o cenário-base neste momento, fatos novos que ocorrerão nos próximos meses podem mexer no tabuleiro. O primeiro deles é a provável entrada do governador do Rio Grande do Sul (RS), Eduardo Leite, que deve trocar o PSDB pelo PSD, na disputa. O segundo é o início da propaganda partidária. E o terceiro é a possível oficialização da chapa entre Lula e o ex-governador de SP Geraldo Alckmin (Sem partido).

De acordo com a CNT/MDA, o candidato mais rejeitado neste momento é Doria (66,5%). Em seguida aparecem Moro (58,2%), Bolsonaro (55,4%), Ciro (48,4%), Lula (40,5%), Pacheco (37,4%) e Simone (29%). Em relação a rejeição, é importante registrar que o índice de Bolsonaro caiu de 59,2% para 55,4% em relação a dezembro do ano passado.

Nas simulações de segundo turno, Lula venceria todos os potenciais adversários: Bolsonaro (53,2% a 35,3%); Moro (52,2% a 29,2%); e Doria (54,9% a 16,7%).

Bolsonaro também perderia para Ciro (41,9% a 37,9%), empataria com Moro (35,6% a 34% em favor do presidente) e venceria Doria (41,1% a 29,8%).

Autor

  • Jornalista brasiliense formado pela Universidade de Brasília (UnB). Tem passagem como repórter pelo Correio Braziliense, Rádio CBN e Brasil61.com. No site O Brasilianista cobre economia e política.