Presidente da República Jair Bolsonaro. Foto: Isac Nóbrega/PR

A nova pesquisa PoderData sobre o governo Jair Bolsonaro (PL) mostra que a avaliação negativa (ruim/péssima) cresceu três pontos e atingiu 56%. A avaliação positiva (ótimo/bom) oscilou um ponto para cima e registra 28%. E o índice regular caiu de 17% para 14%.

Apesar do aumento da avaliação negativa do governo, acima da margem de erro (dois pontos percentuais para mais ou para menos), vale registrar que a avaliação positiva de Bolsonaro, que era de 25% em dezembro, cresceu agora para 28%. Ao que tudo indica, o aumento do índice positivo está ligado ao pagamento do Auxílio Brasil.

Bolsonaro também recuperou apoio entre os evangélicos, importante segmento social de apoio ao bolsonarismo. Entre os evangélicos, a avaliação positiva cresceu seis pontos e agora soma 41%. E a avaliação negativa oscilou para baixo de 41% para 39%. No entanto, no quesito gênero, o presidente continua muito desaprovado pelas mulheres (61%).

Embora a avaliação negativa do governo se mantenha acima de 50% desde junho do ano passado, ainda é preciso aguardar os próximos meses para afirmar se, de fato, o Auxílio Brasil terá o efeito apenas de elevar a popularidade do presidente para a faixa dos 30%.

Mesmo que esse efeito positivo venha a ser menor que o esperado, Bolsonaro, nesse primeiro mês de pagamento do benefício, tem conseguido reaglutinar parte do 1/3 do eleitorado que o apoia.

A pesquisa PoderData foi realizada de 13 a 15 de fevereiro de 2022. Foram entrevistadas 3.000 pessoas com 16 anos de idade ou mais em 243 municípios, nos 26 estados e no Distrito Federal. A pesquisa está registrada no TSE sob o número BR-06942/2022.