Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

De acordo com dados do Banco Central (BC) até as 12h00, desta segunda-feira (14), mais de 20 milhões de pessoas já consultaram o Sistema Valores a Receber (SVR). O portal permite verificar se empresas e pessoas físicas esqueceram algum valor em bancos e instituições financeiras. O SVR deve devolver até R$ 8 bilhões para pessoas e empresas nas diferentes fases de liberação de valores do sistema.

Nessa primeira fase, os valores devolvidos são oriundos de contas corrente ou poupança encerradas com saldo disponível; tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, desde que a devolução esteja prevista em Termo de Compromisso assinado com o BC; cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito; recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados.

O sistema foi retomado após uma queda provocada pela grande procura, no mês passado. O BC informa que o site está funcionando normalmente sem qualquer instabilidade. A consulta é feita utilizado o número de CPF ou CNPJ, data de nascimento ou de abertura da empresa.

Quando receber o agendamento é necessário conferir se foi para o período de 4h às 14h ou de 14h às 24h. Se esquecer ou perder a data e o período agendado, basta fazer a consulta novamente para confirmar a informação. No caso de quem não voltar ao sistema no período definido, o calendário prevê uma data para repescagem.

Nova consulta

A partir do dia 2 de maio, outros valores serão devolvidos. São eles:

  • Parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, não previstas em Termos de Compromisso assinados pelo banco com o BC;
  • Contas de registro mantidas por sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários e por sociedades distribuidoras de títulos e valores mobiliários para registro de operações de clientes encerradas com saldo disponível;
  • Tarifas cobradas indevidamente, não previstas em Termos de Compromisso assinados pelo banco com o BC;
  • Recursos não recolhidos do FGCoop (Fundo Garantidor de Crédito do Cooperativismo de Crédito);
  • Contas de pagamento pré-paga e pós-paga encerradas com saldo disponível;
  • Recursos não recolhidos do Fundo Garantidor de Crédito (FGC);
  • Entidades em liquidação extrajudicial.

Saiba como conferir saldo

A Arko Advice preparou uma matéria mostrando como fazer para consultar se há dinheiro esquecido. Para saber o passo a passo confira o link.

Autor

  • Jornalista pela Universidade Católica de Brasília. Nascida em Brasília-DF, tem passagem como repórter na Rádio Senado. No site O Brasilianista cobre política e economia.