O presidente do PSB, Carlos Siqueira, e a presidente do PT, Gleisi Hoffmann. Foto: PSB, Divulgação

Terminou sem definição a reunião entre liderança dos partidos que estudam formar federação partidária para disputar as eleições de 2022. Segundo o presidente do PSB, Carlos Siqueira, a reunião não foi conclusiva mas permitiu avançar as discussões. O presidente destacou que algumas pautas foram aceitas de pronto, mas se negou a dizer quais. Segundo ele, uma nova reunião deve ocorrer em 10 dias.

Carlos Siqueira não quis entrar em detalhes sobre os desentendimentos do partido com o PT, mas afirmou que dentro de uma federação todas as partes têm que estar dispostas a abrir mão de alguns pontos “Quando se entra em uma discussão e se tem divergências todas as partes devem estar dispostas a fazer concessões. Isso é que é democracia”, afirmou.

Em documento entregue aos partidos, a legenda apresentou seis sugestões como forma de consolidar a união, entre elas a garantia de veto a propostas que tenham ao menos 15% dos votos da assembleia da Federação, o que assegura ao PSB mais voz dentro da federação. Também foi sugerido que a maioria qualificada dos votos na assembleia corresponda a quatro quintos de seus membros.

O presidente do PSB justificou que o documento sugere melhorias de regras que dizem respeito à formação da federação partidária e que as decisões podem ser tomadas ainda esse mês. Siqueira também falou da decisão do STF de prorrogar o prazo para a formação das federações. A nova data ficou marcada para o dia 31 de maio, mas disse que pretende tomar a decisão antes do fim do prazo.

Autor

  • Jornalista pela Universidade Católica de Brasília. Nascida em Brasília-DF, tem passagem como repórter na Rádio Senado. No site O Brasilianista cobre política e economia.