Lula e Bolsonaro

O pagamento do Auxílio Brasil provocou uma melhora na avaliação do governo Jair Bolsonaro (PL). Segundo a pesquisa PoderData, divulgada hoje (3), embora a avaliação negativa (ruim/péssima) tenha ficado no mesmo patamar do registrado no levantamento realizado há 15 dias (53%), em dezembro do ano passado a avaliação do governo somava 57%.

Por outro lado, a avaliação positiva (ótimo/bom) registrou uma melhora. Na comparação com o levantamento anterior (16 a 18 de janeiro), o índice oscilou dois pontos para acima e agora atinge 27%. Embora a oscilação esteja dentro da margem de erro – dois pontos percentuais para mais ou para menos – vale registrar que na comparação com dezembro, a popularidade de Bolsonaro saltou de 22% para 27%. Já o índice regular, que era de 18%, registra hoje 17%.

A melhora na popularidade pode ser verificada também na pesquisa de intenção de voto divulgada ontem (3), pelo PoderData. Na simulação de primeiro turno, embora Bolsonaro continue atrás do ex-presidente Lula (PT), sua intenção de voto oscilou de 28% para 30%. E na simulação de segundo turno contra Lula, Bolsonaro aumentou de 32% para 37%.

O dado negativo para Bolsonaro apresentado pelo PoderData é a avaliação negativa do governo entre os evangélicos. Embora 35% dos evangélicos, importante base do bolsonarismo, considerem o governo ótimo/bom, índice que está acima da média nacional de aprovação do governo, a maioria dos evangélicos (41%) desaprovam a gestão Bolsonaro.