O Ministério da Ciência e Tecnologia (MCTI) vai realizar um estudo técnico que vai medir o potencial eólico da costa brasileira entre os estados do Amapá e o Rio Grande do Norte. O acordo foi anunciado na última quarta-feira (9) durante reunião entre o ministro do MCTI, Marcos Pontes, e o senador Davi Alcolumbre (DEM- AP).
Divulgação

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai financiar a construção de sete usinas eólicas nos municípios baianos de Xique-Xique, Gentio do Ouro e Itaguaçu da Bahia. A construção faz parte do complexo eólico Ventos de São Vítor. O financiamento será de até R$ 655 milhões.

Quando concluído, o complexo eólico vai gerar energia suficiente para abastecer mais de um milhão de casas, capacidade superior à da cidade de Salvador. Além de gerar cerca de 1.200 empregos durante a implementação das usinas. De acordo com estudos da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), o índice de desenvolvimento humano de cidades que recebem projetos eólicos tem crescimento médio 20%.

Projeto
As Sociedades de Propósitos Específicos (SPEs) vão implementar e operar sete usinas eólicas das 14 que compõem o Complexo Eólico Ventos de São Vitor. O projeto apoiado pelo Banco tem como escopo maior a aquisição de 38 aerogeradores nacionais. A maior parte do financiamento se destina à compra desses equipamentos. As demais despesas do projeto envolvem principalmente obras civis.

A expectativa é que as usinas do complexo entrem em operação comercial até o final de 2022.


Autor