Créditos: Roque de Sá / Agência Senado

O líder do Cidadania no Senado, Alessandro Vieira, disse à Arko Advice que há uma expectativa de que, na próxima semana o partido se reúna e volte a discutir aliança com o PSDB. De acordo com o senador existem obstáculos a serem enfrentados antes de uma possível união dos partidos.

“Existem entraves nos palanques regionais e nas regras de governança, como por exemplo em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Pará”, disse Vieira.

De acordo com o líder do PSDB no Senado, Izalci Lucas, apesar das negociações estarem acontecendo, as tratativas dependem de uma nova regulamentação do TSE para as federações partidárias. O tribunal definiu a data limite de 1° de março para que as federações sejam oficializadas, prazo que tem sido considerado insuficiente por lideranças partidárias.

O senador Izalci Lucas (DF) também é pré-candidato ao Governo do Distrito Federal, afirmou que o partido tenta construir uma aliança que una outros dois pré-candidatos ao governo local: os senadores Reguffe (Podemos) e Leila Barros (Cidadania). Uma das formas de tirar essa união do papel seria uma federação partidária.

Para o senador Alessandro Vieira, é importante que se evite um monopólio nas regras de governança, que consiste na divisão de cadeiras no órgão de direção, definição de critérios para escolha de candidaturas quando os dois partidos possuem candidatos.

A formação de federação partidária foi regulamentada no final do ano passado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), depois de aprovada pelo Congresso. Os partidos têm até abril para formalizar as alianças.


Autor