Lula e Bolsonaro

Duas novas pesquisas sobre a sucessão de 2022 foram divulgadas hoje (16): CNT/MDA e Datafolha. Os números convergem com os levantamentos realizados nos últimos dias por outros institutos, ou seja, o ex-presidente Lula (PT) lidera a disputa. Em segundo lugar aparece o presidente Jair Bolsonaro (PL). E o candidato da terceira via melhor posicionado é o ex-ministro Sergio Moro (Podemos).

Segundo a CNT/MDA, Lula lidera com 42,8% das intenções de voto. Bolsonaro está na vice-liderança com 25,6%. O terceiro colocado é Moro, que soma 8,9%. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) registra 4,9%. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), tem 1,9%. O cientista político Luiz Felipe D’Ávila (Novo) registra 0,4%. E o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), contabiliza 0,3%. Brancos, nulos e indecisos somam 15,3%.

Apesar de Bolsonaro ter uma folgada vantagem sobre o terceiro colocado – Sergio Moro – a CNT/MDA mostra um dado que merece ser lido com atenção. Entre quem declara voto em Bolsonaro, 22,3% mencionam Moro com a segunda opção de voto.

Já entre os eleitores de Moro, 21,8% citam Bolsonaro como segunda opção de voto. 15,3% mencionam Ciro Gomes. E 10,7% citam Lula.

E entre os eleitores de Lula, 40,8% têm Ciro como a segunda opção de voto. 14% citam Moro e apenas 5,8% mencionam Bolsonaro.

Conforme podemos observar, Moro é hoje uma ameaça tanto para Bolsonaro quanto para Lula, já que pode tirar eleitores de ambos.

De acordo com a pesquisa, o candidato mais rejeitado é Doria (64%) seguido por Bolsonaro (59,2%), Moro (52,7%), Ciro (51,4%), Lula (40,5%) e Pacheco (43,6%).
Nas simulações de segundo turno, Lula venceria Bolsonaro (52,7% x 31,4%), Moro (50,7% x 27,4%) e Doria (53,6% a 14,7%).

O instituto Datafolha, por sua vez, também mostrou números similares. Lula lidera com 48%. Bolsonaro aparece com 22%. Moro soma 9%. Ciro tem 7%. Doria registra 4%, e brancos, nulos e indecisos contabilizam 10%.

Hoje, o cenário-base para 2022 continua sendo a polarização entre Lula x Jair Bolsonaro. Apesar do momento de fragilização de Bolsonaro, ele tem um eleitor fiel que dificilmente baixará dos 18% a 20%. Lula, por sua vez, sem concorrentes de peso no campo da esquerda, deve estar no segundo turno.

No entanto, Sergio Moro mostra potencial e hoje aparece como o nome da terceira via melhor posicionado no tabuleiro. Caso Moro cresça nas pesquisas, quem fica com sua posição ameaçada no segundo turno é Bolsonaro.


Cliente Arko fica sabendo primeiro

Assine o Arko Private, serviço Arko para pessoa física, e tenha acesso exclusivo a um canal privado de interatividade e alertas em tempo real, além de relatórios, Lives Exclusivas e eventos especiais com figuras notáveis da nossa rede de contatos.