O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, projetou que a possibilidade de empresas privadas investirem diretamente na criação e na operação de novas linhas férreas pelo instrumento da autorização deve gerar um investimento de R$ 150 bilhões nos próximos anos, em um debate sobre o Marco Legal das Ferrovias e o programa Pro Trilhos em Anápolis (GO).

Até o momento, são constatados 24 pedidos de novas linhas férreas encaminhados pela iniciativa privada, com previsão é de 7.590,69 quilômetros de ferrovias e investimentos na ordem de R$ 100,92 bilhões. Também existe a expectativa de que sejam criados 2 milhões de postos de trabalho diretos e indiretos, além da diminuição do custo de transporte, da emissão de CO2 e a modernização da malha ferroviária nacional. O ministro ressaltou que a meta do Governo Federal para o setor de infraestrutura de transportes é fechar 2022 com mais de R$ 300 bilhões em investimentos contratados.

Autor

  • Amanda Mota é graduanda em Ciência Política, pela Universidade de Brasília. Trabalha na Arko Advice atualmente como estagiária com foco em inteligência no legislativo federal, estadual e municipal e mapeamento de stakeholder. Tem experiência no atendimento de associações de classe e multinacionais. Foi uma das coordenadoras do Projeto Politeia, projeto de simulação do processo legislativo da Câmara dos Deputados e UnB.