Para o senador Jean Paul Prates (PT-RN), relator do PL que muda a política de preços da Petrobras, a proposta de se criar um fundo de estabilização com base em um novo imposto de exportação é “desafiadora” e deve enfrentar dificuldades para ser aprovada. Contudo, ele assume a possibilidade de explorar outras opções. “Vamos trabalhar no fundo de estabilização. Soltamos um primeiro relatório rapidamente na expectativa de fosse deliberado. Como não foi, agora com certeza teremos um segundo relatório, muito melhor do que o primeiro”, declarou.

Segundo ele, por mais que esse projeto ajude a diminuir o preço dos combustíveis, ele ainda é uma solução paliativa, mas que “com certeza será aprovada”.

O senador, que se encaixa na Elite como especialista em energia e combustíveis, também criticou a ideia de que a privatização da Petrobras possa diminuir os preços da gasolina e do diesel. “O preço deve continuar alto porque a tendência é que o preço praticado seja o de mercado, da mesma forma que está sendo feito hoje”, disse.

Na entrevista, ele também comenta sobre a proposta de alteração no ICMS para diminuir os preços da gasolina e do diesel, sobre a tramitação do Marco Legal das Ferrovias, BR do Mar, PEC dos Precatórios, Auxílio Brasil e composições para a candidatura do ex-presidente Lula.

Assista a entrevista completa:


Cliente Arko fica sabendo primeiro

Assine o Arko Private, serviço Arko para pessoa física, e tenha acesso exclusivo a um canal privado de interatividade e alertas em tempo real, além de relatórios, Lives Exclusivas e eventos especiais com figuras notáveis da nossa rede de contatos.