Senador Plínio Valério. Foto: Robervaldo Rocha/CMM

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado analisa um projeto de Decreto Legislativo (PDL) para que a população do Pará seja consultada sobre o desmembramento do estado em dois. A ideia é que seja criado o Estado do Tapajós. O relator da proposta, senador Plínio Valério (PSDB-AM) apresentou parecer favorável à realização da consulta. A proposta foi apresentada em 2019 pelo então senador Siqueira Campos (DEM-TO).

Se o novo estado fosse criado, o Tapajós teria 43,15% do atual território do estado do Pará, em sua porção oeste, totalizando 538,049 mil quilômetros quadrados. Esse trecho abrangeria 23 municípios, que totalizam 2 milhões de habitantes. O produto interno bruto (PIB) estimado da região é de R$ 18 bilhões, segundo dados de 2018. O estado teria 8 deputados federais e 24 estaduais.

Segundo o relator, o movimento de emancipação do Tapajós existe há pelo menos 170 anos. O senador apontou que a região conta com importante produção de cacau, além de minérios, mas a “pujança” econômica não é revertida em serviços públicos para a população.

Não seria a primeira vez que a criação do Tapajós seria tema de um plebiscito. Em 2011 foi feita uma consulta em que maior parte da população optou por manter o estado unido. Agora, na segunda tentativa, foram retirados municípios em que uma grande parcela da população foi contra a divisão: ltamira, Porto de Moz, Senador José Porfírio e Vitória do Xingu.

A proposta seria votada na CCJ na quarta-feira (17), mas a análise foi adiada por meio de um pedido de vista.