Organizadas pelo Inep, provas do Enem estão marcadas para os dias 21 e 28 deste mês. | Foto: Shutterstock

O senador Marcelo Castro (MDB-PI), presidente da Comissão de Educação do Senado, aprovou a criação de um grupo de trabalho composto por quatro senadores para apurar e monitorar a crise no Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Izalci Lucas (PSDB-DF), presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Educação, será o coordenador da equipe.

O Inep é responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e, no início do mês, teve o pedido de exoneração de 37 servidores que discordavam com a maneira que a prova estava sendo produzida. O senador Marcelo Castro afirmou que o órgão é responsável pela produção de evidências “indispensáveis” sobre a educação brasileira. “Sucessivas trocas de comando, estrutura fragilizada de gestão e perda permanente de profissionais qualificados”, citou Castro para defender a necessidade da criação do grupo.

Servidores afirmaram que o órgão sofre interferências políticas, e que não são raros os casos de censura ao conteúdo das provas. Em entrevista ao “Fantástico”, parte dos 37 funcionários que entregaram seus cargos na semana passada relatam ainda situações de intimidação e acuasam o presidente do Inep, Danilo Dupas, de despreparo.

As denúncias veio à tona poucos dias antes do exame, que começa neste domingo (21/11). Na entrevista, os servidores contaram que no dia 2 de setembro, período em que a prova do Enem estava em fase final de elaboração, um policial federal passou por todo o esquema de segurança e entrou no “ambiente seguro” de criação do exame.


Cliente Arko fica sabendo primeiro

Assine o Arko Private, serviço Arko para pessoa física, e tenha acesso exclusivo a um canal privado de interatividade e alertas em tempo real, além de relatórios, Lives Exclusivas e eventos especiais com figuras notáveis da nossa rede de contatos.