Custo Brasil: governo quer reduzir burocracia em R$ 1,5 trilhão
Foto: Arquivo/Agência Brasil

O presidente global da Renault, Luca de Meo, anunciou na quinta-feira (11/11) o novo posicionamento da marca no Brasil. As novidades farão parte de um ciclo de investimentos que deverá ter início em 2022. Segundo ele, as mudanças são principalmente pelo fato das operações da montadora no Brasil estarem em uma “condição muito complicada”.

A nova estratégia da montadora vai aposentar os modelos Logan e Sandero. O mesmo caminho vem sendo percorrido por outras marcas no país, em uma troca de volume por rentabilidade. A decisão da Renault inclui o lançamento de veículos “emissão zero”.

Luca de Meo confirmou a chegada do Kwid elétrico ao país em 2022 e afirmou que, possivelmente, esse será o carro mais em conta da categoria. Essa posição é ocupada hoje pelo JAC e-JS1, que custa R$ 150 mil. Com a crise causada pela escassez de peças, em especial semicondutores, a Renault viu a produtividade despencar. Os resultados ruins levaram à abertura de um programa de demissão voluntária, que foi concluído em outubro com aproximadamente 500 desligamentos.

A marca registrou 94,5 mil emplacamentos entre janeiro e outubro no Brasil, uma queda de 8,2% na comparação com o mesmo período de 2020.


Cliente Arko fica sabendo primeiro

Assine o Arko Private, serviço Arko para pessoa física, e tenha acesso exclusivo a um canal privado de interatividade e alertas em tempo real, além de relatórios, Lives Exclusivas e eventos especiais com figuras notáveis da nossa rede de contatos.