Foto: Dida Sampaio / Estadão

Conforme anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro na última terça-feira (20), foi publicada hoje no Diário Oficial da União a indicação de Augusto Aras para mais dois anos à frente da Procuradoria-Geral da República (PGR). O atual mandato iria até setembro.

Ao fazer a recondução de Augusto Aras, Bolsonaro voltou a ignorar a lista tríplice da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), composta pelos membros do Ministério Público. Votada em junho, a lista não incluiu o nome de Aras.

A indicação do procurador-geral da República é prerrogativa do presidente e cabe ao Senado sabatinar o indicado e aprovar ou rejeitar a nomeação. A sabatina acontece na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), e a votação no plenário do Senado. Aras precisa de pelo menos 41 votos favoráveis para continuar no cargo.


Autor

  • Graduanda em Jornalismo pela Universidade Católica de Brasília (UCB). Tem passagem como repórter pelo Jornal de Brasília, Correio Braziliense e Brazilian Press. Como produtora atuou no SBT Brasília. No O Brasilianista cobre economia e política.