O Senado Federal discute, nesta quarta-feira (16), a Medida Provisória (MP) da capitalização da Eletrobras . A expectativa, de acordo com apuração da Arko Advice, é de que a votação da MP fique para esta quinta-feira (17).
Foto: Divulgação Eletrobrás

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, nesta terça-feira (13), a lei que trata da capitalização da Eletrobras com 14 vetos. Um dos dispositivos vetados autorizava a compra por empregados e eventuais ex-empregados, desligados durante o ano subsequente ao ano do processo de capitalização, de até um por cento das ações remanescentes em poder da União, após o aumento de capital.

De acordo com a justificativa apresentada por Bolsonaro, esse dispositivo poderia causar distorções no mercado.

Outro ponto previa que o Poder Executivo deveria realizar o aproveitamento dos empregados da companhia e de suas subsidiárias demitidos sem justa causa durante os doze meses subsequentes à desestatização, em empresas públicas federais, em cargos de mesma complexidade ou similaridade, com equivalência de seus vencimentos. No entanto, o presidente argumentou que isso violaria o princípio do concurso público.

Bolsonaro vetou também o trecho que proibia a fusão, incorporação e extinção em até 10 anos de algumas subsidiárias da Eletrobras, como Eletronorte, Furnas e CGT. A justificativa dada pelo presidente, essa norma limitaria a gestão da nova Eletrobras, tirando a flexibilidade e capacidade da empresa de se mexer de maneira eficiente.

Os vetos passam agora pela Câmara dos Deputados e pelo Senado, para serem votados.


Cliente Arko fica sabendo primeiro

Assine o Arko Private, serviço para pessoa física, e tenha acesso exclusivo a um canal privado de interatividade e alertas em tempo real, além de relatórios, Lives Exclusivas e eventos especiais com figuras notáveis da nossa rede de contatos.