Ricardo Salles pede demissão do Ministério do Meio Ambiente
Foto: Renato Costa/Framephoto/Estadão Conteúdo

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, pediu demissão do governo Jair Bolsonaro nesta quarta-feira (23). Ele vinha sendo investigado na operação Akuanduba, que apura crimes contra a administração pública praticados por agentes públicos e empresários do ramo madeireiro. O ex-ministro também era alvo de fortes críticas dentro do Congresso, mas principalmente no cenário internacional.

“Nós experimentamos ao longo desses anos muitas contestações sobre as medidas que foram tomadas em uma tentativa de dar um caráter de desrespeito à legislação, o que não é verdade. Entendo que o Brasil ao longo desse ano, na inserção internacional e na agenda nacional precisa ter uma união muito forte de interesses e esforços. Para que isso se faça da maneira mais serena possível, apresentei ao Presidente meu pedido de exoneração”, disse.

Na última terça-feira (22), dia anterior à demissão, Salles recebeu elogios públicos de Jair Bolsonaro durante o lançamento do Plano Safra 2021/22. “Parabéns, Ricardo Salles. Não é fácil ocupar seu cargo”, afirmou o presidente.

O Secretário da Amazônia e Serviços Ambientais, Joaquim Álvaro Pereira Leite, do Ministério do Meio Ambiente, foi nomeado para o cargo. O anúncio foi feito por meio de uma coletiva de imprensa no Palácio do Planalto.

Quem é Joaquim Álvaro Pereira Leite?

O novo ministro do Meio Ambiente, Joaquim Álvaro Pereira Leite é formado em administração de empresas. Está desde julho de 2019 no Ministério do Meio Ambiente – foi Diretor do Departamento Florestal e Secretário da Amazônia e Serviços Ambientais.

Álvaro é ligado ao agronegócio – atuou no ramo da cafeicultura e foi conselheiro da Sociedade Rural Brasileira (SRB) por 23 anos. A entidade tem relacionamento próximo com a Frente Parlamentar da Agropecuária.

Colaborou: Daniel Marques Vieira


Essas, e outras notícias, você também encontra na Arko Advice e no portal O Brasilianista