Divulgação

Três mandados de busca e apreensão, nesta sexta-feira (18) contra suspeitos de corrupção e lavagem de dinheiro na antiga Diretoria de Abastecimento da Petrobras estão sendo cumpridos pela Polícia Federal (PF) por meio da Sem Limites VI. A fase é um desdobramento da operação que investigou a prática de crimes envolvendo a negociação de óleos combustíveis entre a estatal e empresas estrangeiras.

Os mandados da fase cinco foram expedidos pela Justiça com o objetivo de colher provas sobre corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa por novos suspeitos. Um deles seria ligado a um ex-gerente da Petrobras, suspeito de ser o responsável por receber recursos de corrupção no exterior, por meio de contas em nome de empresas registradas em outros países. De acordo com informações da PF, esse dinheiro era distribuído aos envolvidos no esquema criminoso.

Durante as investigações, a Polícia Federal identificou um representante de empresas internacionais e dois homens ligados a um ex-funcionário da área comercial da Petrobras, que seria o responsável por dar informações privilegiadas sobre negociações da estatal.
A PF não informou o período em que funcionou o esquema, mas a Petrobras disse, por meio de nota, que colabora com as investigações desde 2014, é coautora de 21 ações de improbidade administrativas que estão em andamento e é assistente de acusação em 76 ações penais relacionadas a crimes investigados pela Operação Lava Jato.