O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), fatiaram, no final de maio, a reforma tributária, dividindo o projeto em quatro partes; duas para cada casa. Além dos temas gerais de cada fatia, ainda restam muitas dúvidas, com projetos ainda pendentes de serem enviados pelo governo ao Congresso. Na visão do CEO da Arko Advice, Murillo de Aragão, ainda que seja positiva a movimentação em torno da pauta, ainda não está claro como a reforma avançará.
Foto: Youtube/Arko Advice

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), fatiaram, no final de maio, a reforma tributária, dividindo o projeto em quatro partes; duas para cada casa. Além dos temas gerais de cada fatia, ainda restam muitas dúvidas, com projetos ainda pendentes de serem enviados pelo governo ao Congresso. Na visão do CEO da Arko Advice, Murillo de Aragão, ainda que seja positiva a movimentação em torno da pauta, ainda não está claro como a reforma avançará.

“Haverá, de fato uma simplificação? Existe perigo de aumento de impostos? Estou mais otimista com a reforma administrativa; o Congresso se mostrou e está se mostrando reformista”, questionou. A declaração foi feita durante a live semanal da Arko, Política Brasileira, já disponível no Youtube.

De acordo com o que foi acordado pelos presidentes do Legislativo, a reforma tributária ficou da seguinte forma:

Fica com a Câmara:

– CBS, com fusão do PIS e Cofins; (PL 3887/2020)

– Imposto de Renda de pessoa física e jurídica. Aumento da faixa de isenção, diminuição da taxa sobre pessoa jurídica e taxação de dividendos. (Ainda sem projeto)

Fica com o Senado:

– Passaporte tributário, com novo Refis; (Ainda sem projeto)

– PEC 110, tratando de ICMS, ISS e outras questões relacionadas aos entes da Federação.

Ainda indefinido:

– IPI seletivo; (Ainda sem projeto)

– Imposto de compensação (sobre transações). (Ainda sem projeto)

Esquerda ressurge para 2022? 

Ainda que falte mais de um ano para as eleições de 2022, as pesquisas eleitorais já estão trabalhando a todo vapor. De acordo com um levantamento do Instituto Paraná Pesquisas, a esquerda, por meio do nome de Marcelo Freixo (RJ), atual deputado federal pelo PSOL, lidera as intenções de voto para o governo do Rio de Janeiro. Em São Paulo, segundo o Instituto Atlas, Guilherme Boulos está na liderança do Executivo paulista. Na avaliação de Cristiano Noronha, vice-presidente da Arko, as pesquisas podem representar um cenário promissor para a esquerda. 

“É curioso que Boulos esteja na primeira colocação; São Paulo nunca teve um governador declaradamente de esquerda. No entanto, acho muito cedo para cravar algum cenário. Bolsonaro ainda não indicou o seu candidato, por exemplo. Mas há um cenário promissor”, afirmou. 

Já na visão de Murillo, os levantamentos não representam uma visão tão positiva. “Concordo que está cedo para cravar, mas eu sou descrente com essa popularidade. O Dória está se movimentando com a vacina e tem um bom dinheiro em caixa para fazer obras. Ainda há um bom cenário pela frente”. 

Como assistir a live Política Brasileira?  

live Política Brasileira ocorre todos os domingos às 19h no canal oficial da Arko Advice no youtube e conta com a participação dos analistas Murillo de Aragão, Cristiano Noronha, Lucas de Aragão, Thiago de Aragão e Michel López.