A Câmara aprovou, nesta quinta-feira (10), a realização de uma Audiência Pública na Comissão do Turismo da casa para debater os efeitos de uma eventual aquisição da empresa aérea Latam Airlines Brasil pela empresa aérea Azul Linhas Aéreas no sistema de transporte de passageiros no País. A sessão foi requerida pelo deputado Eduardo Bismarck (PDT-CE). 
Foto: Jorge Araujo

Frente às notícias publicadas na imprensa que mostram o interesse da Azul Linhas Aéreas em adquirir a Latam, o deputado Eduardo Bismarck (PDT-CE) enviou um requerimento de informação ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) questionando a eventual operação.

Bismarck pede uma análise sobre a viabilidade jurídica da compra, sobre a possibilidade de concentração de mercado, sobre o risco de se criar um monopólio e sobre possíveis efeitos sobre as agências de turismo.

O deputado justifica seu requerimento dizendo que a fusão entre as duas empresas pode gerar preços mais altos, já que algumas rotas passariam a contar com a operação de uma única empresa aérea, além de desestimular a concorrência. “Poderá aumentar situações de monopólio, o que já ocorre hoje em algumas rotas, com elevados preços, inviabilizando a entrada de outros players e, consequentemente, afastando o turista estrangeiro, pois ficará ainda mais caro voar internamente no País”, diz.

A Latam passa por processo de recuperação judicial nos Estados Unidos. Mas, nesta sexta-feira (4), em entrevista à agência de notícias Bloomberg, o diretor-presidente da Latam Airlines, Roberto Alvo, disse que a operação brasileira da companhia aérea não está à venda. “Consideramos isso mais um sinal de preocupação da Azul, pois entendem que seremos um concorrente muito desafiador após sair da recuperação judicial”, disse o executivo sobre a movimentação da empresa rival.