Quem larga na frente na disputa é o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL). O único cenário em que Freixo não lidera é quando o apresentador da TV Globo, Luciano Huck (Sem partido), aparece na simulação. No entanto, por ora, Huck não é cotado como candidato ao governo do RJ.
Foto: Ricardo Stuckert

O instituto Paraná divulgou hoje (02) pesquisas de intenção de voto para governador no Rio de Janeiro (RJ). Foram testados quatro possíveis cenários para a disputa ao Palácio Guanabara.  Quem larga na frente na disputa é o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL).

O único cenário em que Freixo não lidera é quando o apresentador da TV Globo, Luciano Huck (Sem partido), aparece na simulação. No entanto, por ora, Huck não é cotado como candidato ao governo do RJ.

No primeiro cenário, há um quadro de empate técnico entre o apresentador da TV Globo, Luciano Huck (Sem partido), que aparece com 21,3% das intenções de voto, e o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL), que registrou 20,5%. A deputada estadual Martha Rocha (PDT) tem 14,7%. O governador Cláudio Castro (PL) contabiliza 13%. O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz (Sem partido) registra 1,3%. Brancos, nulos e indecisos somam 29,1%.

No segundo cenário, sem Huck na disputa, Freixo tem 23,8% das intenções de voto. Ele está tecnicamente empatado com Martha Rocha, que registra 23,1%. Cláudio Castro tem 16,3%. E Felipe Santa Cruz aparece com 2,1%. Brancos, nulos e indecisos somam 34,7%.

No terceiro cenário, Marcelo Freixo lidera com 23,5%. Cláudio Castro tem 15,6%. O ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) registra 12,8%. O prefeito de Duque de Caxias (RJ), Washington Reis (MDB), tem 8%. E Bernadinho (Novo) registrou 5,6%. Brancos, nulos e indecisos tem 34,4%.

E no quarto cenário, Freixo lidera com 25,2%. Cláudio Castro tem 16,7%. Washington Reis aparece com 8,8%. O ex-prefeito de Niterói (RJ) Rodrigo Neves (PDT) tem 7%. E Bernardinho aparece com 6%. Brancos, nulos e indecisos somam 36,2%.

Com o ex-presidente Lula (PT) atuando para unir as esquerdas em torno de Marcelo Freixo, que poderá trocar o PSOL pelo PSB, a tendência é que ele, caso seja candidato, esteja no segundo turno. No entanto, a disputa no RJ ainda está bastante indefinida.

Além da atuação do presidente Jair Bolsonaro em favor do governador Cláudio Castro, há cerca de 40% dos eleitores localizados entre brancos, nulos e indecisos, deixando a disputa em aberto.

São Paulo

Nos bastidores da politica paulista, partidos de esquerda tentam construir uma frente ampla para concorrer ao governo do estado de São Paulo em 2022. Segundo o que a Arko Advice apurou, o PSOL tenta convencer os demais partidos de esquerda de que Guilherme Boulos encabece uma candidatura em 2022, tendo Fernando Haddad como vice.