Foto: Agência iNFRA
No final de 2019, o Brasil e o Global Infrastructure Hub (GI Hub) iniciaram uma parceria na fomentar a agenda de infraestrutura com enfoque em sustentabilidade, resiliente e inclusão. A parceria recebeu o nome de “Programa de Engajamento do País” e teve como foco as privatizações e concessões no setor de infraestrutura.

O valor estimado com os projetos de infraestrutura leiloados entre 2020 e 2022 é de US$44,66 bilhões. A iniciativa tem um papel importante no fomento de melhores práticas e na agenda de inovações, trazendo maior alinhamento do Brasil com outros países.

O programa teve quatro enfoques principais: avaliação do mercado de privatização de portos, estudo sobre financiamento privado de longo prazo no setor de infraestrutura; estudo de estudo de benchmarking sobre estratégias de mitigação de risco em moeda estrangeira; e melhoria da capacidade de preparação de projetos.

O secretário de Assuntos Econômicos Internacionais do Ministério da Economia, Erivaldo Gomes, destaca a importância da iniciativa para aumentar a participação privada na infraestrutura brasileira.

Diversidade de stakeholders

Além do GI Hub, essa parceria conta com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID); Grupo Banco Mundial; Corporação Financeira Internacional (IFC, na sigla em inglês); Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); Fundação de Infraestrutura Sustentável (SIF, na sigla em inglês), Boston Consulting Group, Maritime & Transport Business Solutions: New Development Bank (NDB); IG4 Capita; Norton Rose Fulbright; Santander; Parceiros Vinci e diversos representantes dos Ministérios da Economia e da Infraestrutura.

Source

A cooperação tem um papel importante para auxiliar o Brasil na resolução de gargalos estruturais. Nesse contexto, o Brasil passará a utilizar a plataforma Source, que é utilizada internacionalmente como referência para padronização e organização de dados de concessões, desde as fases iniciais.