Nos dias 20 e 21 da semana passada, o Conselho Empresarial Brasil-China (CEBC) e o think tank chinês Institute of Finance and Sustainability (IFS) organizaram o “Diálogo Brasil-China Sobre Agricultura Sustentável”. O evento online contou com a participação da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, e do ministro da Agricultura e Assuntos Rurais da China, Tang Renjian, além de representantes de entidades e setores.

A China é o principal parceiro comercial do Brasil e o agronegócio é o setor-chave nas relações bilaterais entre os dois países. O estreitamento de laços e discussões de ações bilaterais específicas para o setor são de fundamental importância, especialmente no que diz respeito ao tema de biodiversidade de sustentabilidade associado à agroindústria brasileira.

Cenário regional

A China é um parceiro comercial de grande relevância para muitos países sul-americanos, especialmente no setor da agroindústria. Na Argentina, onde o setor pecuário é bastante competitivo, houve uma alta do preço da carne no mercado interno de 65,3%, de abril do ano passado para abril desse ano.

Por conta disso, a Argentina suspendeu a exportação de carne bovina por 30 dias, no início da semana passada. Essa suspensão pode ser uma oportunidade para o Brasil, já que a demanda pelo produto argentino deve ser realocada no Brasil.