Foto: Getty Images/Divulgação

Avaliação do Banco Central (BC) aponta a existência de um potencial não realizado de portabilidade de crédito no Brasil. De acordo com o estudo “Evolução da portabilidade de crédito no Brasil: comportamento e perfil”, divulgado nesta terça-feira (25), são 18,9 milhões de consumidores de empréstimos no crédito consignado, 4,2 milhões no financiamento de veículos e 493 mil no crédito imobiliário.

Segundo o estudo do Banco Central, esses clientes pagam taxas de juros acima da média atual do mercado e se optassem pela portabilidade de crédito, poderiam transferir sua operação para outra instituição, com custo menor. O relatório afirma que mesmo em um cenário de redução das taxas de juros a procura pela portabilidade ainda representa um percentual pequeno.

Apenas 6,3 milhões de solicitações de portabilidade de crédito foram registradas em 2020. Desse total, 62% foram efetivadas e 13% foram retidas após negociação com o cliente. Essa modalidade permite que consumidores transfiramsuas dívidas para outras instituições financeiras, reduzindo taxas de juros, crédito adicional, alongamento do prazo, entre outras conveniências.