RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, admitiu que a situação dos reservatórios das usinas hidrelétricas preocupa, mas afastou o risco de falta de energia elétrica no país este ano. “Estamos com baixos níveis dos reservatórios, o período seco já começou e não temos perspectivas de chuvas significativas”, disse, em reunião na Comissão de Minas e Energia da Câmara.

As projeções do ministério, com base nos dados fornecidos pelo Operador Nacional do Sistema (ONS), indicam que se nenhuma medida for tomada os reservatórios podem chegar a 14,9% da capacidade em novembro. A situação é acompanhada pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), grupo que reúne diversos órgãos e é presidido pelo ministro.

“Nós temos condições de garantir a segurança energética do país, mas, já adianto, isso vai exigir medidas excepcionais e também bastante atenção por parte de todos os agentes públicos”, afirmou Bento Albuquerque. O CMSE ampliou as medidas emergenciais, autorizando a importação de energia da Argentina e do Uruguai sem limitação de montantes ou preço.

Para o presidente do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires, a tendência de recuperação econômica com o avanço da vacinação contra a covid-19 deve elevar o consumo de energia. De acordo com o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) divulgado na quinta-feira, a economia registra crescimento, embora lento. O PIB teve reação positiva de 2,4% no primeiro trimestre do ano.