Tarcísio: Ferrogrão é fundamental para o Brasil
Foto: Beth Santos/Secretaria-Geral da PR

O Banco de Desenvolvimento da América Latina (antes conhecido como Coperación Andina de Fomento – CAF) divulgou a lista das consultorias habilitadas no âmbito da Manifestação de Interesse lançada pela instituição para realizar estudos de viabilidade e apoio para a nova concessão da ferrovia Malha Oeste, concedida à concessionária Rumo.

Acordo de cooperação técnica firmado entre o banco e o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) no início deste ano buscou o apoio da instituição financeira para a reestruturação do projeto de nova licitação desse trecho ferroviário de 1.973 quilômetros, entre São Paulo e Mato Grosso do Sul, chegando à fronteira com a Bolívia.

A primeira etapa dessa contratação foi o recebimento de Manifestações de Interesse. Participaram consultorias individuais ou consorciadas com experiência comprovada em serviços relacionados à estruturação integral de projetos de infraestrutura ferroviária. Foram recebidas 24 Manifestações de Interesses de consultorias brasileiras e estrangeiras, de países como China, Estados Unidos, Espanha, Canadá, Holanda, Suíça, Colômbia, Argentina e Chile.

Após a avaliação dos documentos, de acordo com os critérios estabelecidos no âmbito do chamamento de Manifestação de Interesse, o CAF formou uma lista de nove empresas que serão convidadas a submeter suas ofertas técnica e econômica para participar do processo seletivo.

A lista é liderada pelo Consórcio Concremat-ALG Queiroz Maluf- Banco Factor, do qual participa a empresa China Communications, Construction Company (CCCC). Em segundo lugar ficou o Consórcio Consultor Malha Oeste (Nova Engevix) e, em terceiro, o Consórcio Integração (do qual participa o Boston Consulting Group).

O bloco inclui consórcios de companhias da França, da Argentina, do Chile, dos Países Baixos e de empresas de consultoria brasileiras. O consórcio selecionado depois será convidado a negociar o contrato de serviços de consultoria correspondente à estruturação da nova concessão da ferrovia.

Em julho de 2020, a Rumo (sucessora da ALL) protocolou junto à ANTT pedido de adesão a processo de relicitação (devolução da concessão) referente ao Contrato de Concessão celebrado com a União em 1995, nos termos da Lei nº 13.448/17, regulamentada pelo Decreto 9.957/19. Quando operada pela Rede Ferroviária Federal, essa malha era conhecida como Noroeste do Brasil (NOB).

Os estudos devem ser iniciados ainda neste semestre. A publicação do edital e a realização do leilão da nova concessão estão programadas para o primeiro semestre de 2023.

Mais carga

Minério de ferro e grãos puxaram a alta no volume de produtos transportados pelas ferrovias do país, crescendo 15,2% e 53%, respectivamente, no primeiro trimestre de 2021, em comparação com o mesmo período de 2020. Os números, divulgados na semana passada pela Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF), revelam que o volume total transportado por trens cresceu 30%. O minério de ferro, principal carga transportada do país, passou de 50,8 milhões de toneladas para 58,5 milhões neste ano. Os grãos (milho e soja) subiram de 5 milhões de toneladas para 7,7 milhões.